Feliz Natal 2017

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Aluno ganha bolsa em universidade internacional graças aos bolos da mãe e aos vídeos no YouTube

 O estudante Gabriel Ferreira Dias, de 19 anos, vai deixar o Rio de Janeiro para morar em sete países diferentes nos próximos quatro anos. Ele foi aprovado na Universidade Minerva, sediada nos Estados Unidos, mas que tem a proposta de fazer com que os alunos estudem cada semestre em um país diferente. Outros 11 brasileiros estão na turma que começa em setembro.

Após o primeiro ano letivo comum a todos os alunos, em São Francisco, eles seguem para Seul, Taipei (Taiwan), Hyderabad (Índia), Berlim, Londres e Buenos Aires. Os estudantes precisam optar por uma das seis áreas de ensino: artes e humanidades; ciências sociais; computação; ciências naturais e negócios.

Gabriel viaja em 22 de agosto, e vai estudar negócios. Não foi só o inglês fluente e as boas notas do currículo escolar que o fizeram ser aceito e ganhar 90% de bolsa na Minerva. Para quem não tem nenhum desconto, o custo é de cerca de R$ 90 mil por ano, incluindo despesa de alojamento e refeições. As universidades americanas valorizam muito as atividades extracurriculares dos candidatos. Gabriel se destacou ao aliar o feeling para os negócios e a herança empreendedora da família, e criar um curso on-line de decoração de bolos ministrado pela mãe.

“Meu avó era dono de padaria, a família teve negócios pequenos, sempre quis ter algo. Em 2015, minha mãe decorava bolos por encomenda. Meu pai achava que ela tinha muito jeito para ensinar. Eu adoro gravar, adoro tecnologia, e queria empreender, era uma forma de botar em prática. Começamos a vender cursos”, diz Gabriel.

Ele grava as aulas, edita e bota os vídeos no ar. Os cursos já foram vendidos para mais de 250 pessoas. Os vídeos no YouTube e Facebook têm mais de 19 milhões de visualizações.

O carioca acredita que a veia empreendedora tenha sido o diferencial da sua candidatura. “Você não precisar ser o cara que ganhou uma medalha de ouro na Olimpíada de Física para entrar. Eu nunca ganhei uma medalha de olimpíada científica. Eu gosto de empreendedorismo. Eu me envolvi de alma. O que é sua paixão e o que faz para desenvolvê-la?”

‘Fazer diferença no mundo’

Gabriel fez o ensino médio no Sistema Elite, no Rio, como bolsista. Ao concluir a educação básica, além de ser aceito pela Minerva, passou no curso de administração na PUC-Rio e na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), mas desistiu das vagas porque queria ir para o exterior. “Há cinco anos eu tenho vontade de estudar fora, a Minerva era a faculdade que eu mais queria pelo fato de ser diferente, de passar por sete países. Esse é um diferencial, vai ser bom se adaptar a outras culturas e aprender como é o mundo de verdade. Quem quer fazer diferença no mundo tem de conhecer o mundo.”

Inscrições abertas

As inscrições para a seleção da nova turma da Minerva estão abertas desde o dia 1º de agosto e vão até 16 de março de 2018, pelo site https://www.minerva.kgi.edu/application/start. O processo seletivo inclui entrevista, produção de texto e testes de lógica, matemática e inglês, feitos pelos candidatos no seu próprio computador, com a webcam conectada aos selecionadores, que observam o comportamento e o raciocínio dos estudantes.

Além do histórico escolar, é necessário comprovações de atividades extracurriculares, como participação em trabalho voluntário ou olimpíadas do conhecimento. A instituição avalia o perfil de liderança e empreendedorismo dos potenciais alunos.

A Minerva possui atualmente 500 estudantes de 55 países, sendo que o Brasil está em terceiro lugar no número de matriculados, atrás apenas de EUA e China.

Por Vanessa Fajardo e Livia Torres, G1
Fonte: g1 globo

Sem comentários: