segunda-feira, 3 de julho de 2017

Mãe monstra joga bebê no lixo em chamas por ele ser 'a cara do pai'

Mãe monstra joga bebê no lixo em chamas por ele ser 'a cara do pai'
Alguns crimes podem ser verdadeiramente chocantes e não é para menos. Por trás de uma história de dor, existem pessoas e famílias. Recentemente, um crime bárbaro acabou chocando o país. Uma mãe, irritada com o marido, decidiu botar o filho - literalmente - na fogueira. A informação foi dada com destaque pelo portal de notícias G1 nesse final de semana. O garotinho, de apenas dois anos, foi identificado como Alexandre Coutrim Rodrigues. Ele já foi encontrado sem vida pelas autoridades. Quando os policiais chegaram à casa da mãe do menino, Adriana Coutrin Moreira, o corpo do bebê estava em meio a chamas e jogado a um monte de lixo e entulho.
Adriana teria cometido o crime no domingo passado (25) e acabou confessando a ação. Ela não aguentou o remorso do próprio ato e, por isso, disse o que fez. Após a confissão da mãe monstra, não restou outra alternativa para os policias, a não ser prender essa mulher que teve um ato de extrema barbaridade. Adriana contou aos agentes da lei da cidade de Piranhas, no interior do estado de Goiás, que estava passando por uma fase muito triste. Sem se sentir amada e chateada com tudo isso, ela decidiu acabar assassinando o próprio filho. Adriana disse que ao olhar para a criança, olhava para o pai dele, que a havia abandonado. Por o bebê ser a cara do pai, ele acabou sendo morto de forma absurda.
Em entrevista sobre o caso, o delegado Ramon Queiroz da Silva informou que fez um interrogatório bastante significativo com a mulher.
Ela então explicou que estava muito chata a sua vida e que o garoto a impedia de fazer muitas coisas. Adriana reclamou que não poderia sair de casa para passear, por exemplo, e que o bebê era levado. Ela ainda deu detalhes sobre a morte do garoto e disse que queimou ele vivo. "Estava chorando muito, não parava de chorar", explicou ela ao delegado que, certamente, ficou impressionado com tamanho relato cruel.
De acordo com a mãe de Alexandre, ela tinha feito um monte de lixo, entulho e folhas secas, colocou fogo no lixo, jogou o menino dentro, e não satisfeita, ela ainda derramou álcool sobre a criança. O menino, é claro, naturalmente, ficou desesperado e tentou fugir do fogo. A mulher então pegou um pedaço de madeira e com ele ela forçou o bebê a continuar nas chamas, ardendo até a morte. Pelo crime, ela pode pegar a pena máxima no Brasil de reclusão, de 30 anos.
(Blasting News)

Sem comentários: