A todos um ótimo São João 2017

A todos um ótimo São João 2017

sexta-feira, 7 de julho de 2017

Advogados são denunciados por receber R$ 9 milhões para enganar os próprios clientes

Cinco advogados foram denunciados pela suspeita de enganar 147 clientes que processavam uma operadora de telefonia no Rio Grande do Sul. Segundo o Ministério Público, eles desistiram das ações que pediam indenizações em troca de R$ 9 milhões.

De acordo com o promotor Flavio Duarte, 147 clientes que tinham ações da antiga CRT foram lesados. Eles contrataram o advogado Evandro Montemezzo, de Taquara, que em maio deste ano teve bens e contas bancárias bloqueados pela Justiça em uma operação do Ministério Público.

"Algumas dessas pessoas tinham valores mais de R$ 1 milhão já depositados judicialmente, prestes a receber, e perderam tudo. Algumas não tinham valor algum e perderam sequer a possibilidade de receber", afirma Duarte.

O comerciante Alcindo Kurmann, de Taquara, diz ter sido lesado pelo advogado que o representava. "Fiquei indignado", desabafa. "Se eu contrato advogado é para ser honesto comigo. Se não tenho direito é uma coisa, mas se tenho direito, é meu", acrescenta.

De acordo com o Ministério Público, o advogado Evandro Montemezzo recebeu mais de R$ 9 milhões como uma espécie de suborno, repassado pelo Escritório Silva e Berthold, de Porto Alegre, que havia sido contratado pela operadora Oi, dona da antiga CRT.

Entre os advogados que atuam no escritório, está o procurador de Justiça aposentado Ricardo de Oliveira Silva, denunciado junto com dois filhos e o sócio. Eles responderão por formação de quadrilha, patrocínio infiel, lavagem de dinheiro e falsidade documental.

"Espero que ele perca direito de exercer a profissão. Está andando livre, solto, faceiro e dando risada. Nós que pagamos que temos direito. Eu tenho direito sobre o que eu vendi para a CRT, que era direito meu", protesta Kurmann.

Em nota, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) diz ter adotado todas as providências para apurar o caso, e que "não tolera" profissionais que "afrontam a ética".

Procurada, a defesa do Escritório Silva e Berthold diz que ainda não teve acesso à denúncia da promotoria, mas que apresentou elementos ao Ministério Público demonstrando que não houve irregularidades.

A defesa do advogado de Taquara Evandro Montemezzo também diz que não vai se manifestar porque não teve acesso à denúncia.

A Oi afirma que não atuou de forma irregular em acordos na Justiça. A empresa diz que contratou advogados para representá-la na esfera judicial em busca de acordos legítimos, seguindo a lei, e que, se os valores não foram repassados aos clientes, isso é responsabilidade exclusiva desses advogados, e não da Oi.

Fonte: g1 globo

Sem comentários: