A todos um ótimo São João 2017

A todos um ótimo São João 2017

segunda-feira, 29 de maio de 2017

Tabagismo causa 50 tipos de doenças; saiba onde encontrar ajuda

Como forma de auxiliar as pessoas contra o vício, a PMJP aderiu ao Programa Nacional contra o Tabagismo
Imagem Ilustrativa
“Estou muito emocionada ao recordar de tudo que passei para chegar até aqui”, relembra a aposentada Jaidete Honorato, que largou o vício do cigarro com a ajuda que recebeu em um dos cincos Centros de Referência em Saúde mantidos pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP). O Dia Mundial sem Tabaco é celebrado no dia 31 de maio e visa alertar a população para os malefícios para a saúde de quem fuma. Comente no fim da matéria.
Há mais de três anos sem fumar, Jaidete Honorato conta que continua no programa de tratamento contra o tabagismo para poder ajudar outras pessoas, ao mesmo tempo em que também é ajudada. “Eu parei de fumar, mas sei que não posso relaxar, tenho que ter todo cuidado possível. Eu amo está nesse projeto, pois ao mesmo tempo em que ajudo as pessoas eu também sou ajudada”, revela.
Como forma de auxiliar as pessoas contra o vício, a PMJP aderiu ao Programa Nacional contra o Tabagismo, criando desde 2006 pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS). O programa estimula e apoia fumantes no processo de cessação do vício e na adoção de outros hábitos saudáveis de vida, através de uma equipe multiprofissional de saúde (médico, enfermeiro, psicólogo, nutricionista, entre outros).
O tabagismo causa cerca de 50 doenças diferentes, principalmente as cardiovasculares, tais como: a hipertensão arterial, o infarto, a angina (dor no peito) e acidente vascular cerebral (derrame). É responsável também por muitas mortes por câncer (pulmão, boca, laringe, esôfago, estômago, pâncreas, rins, bexiga) e pelas doenças respiratórias obstrutivas (bronquite crônica, enfisema pulmonar).
Em recente pesquisa publicada pela revista The Lancet, o Brasil apareceu em oitavo lugar no ranking de número absoluto de fumantes (7,1 milhões de mulheres e 11,1 milhões de homens). Durante 25 anos, o Brasil viu a porcentagem de fumantes diários caíram de 29% para 12%.
Luciana Martins, coordenadora do programa, conta que os resultados do projeto são grandes, mesmo quando a desistência de alguns do tratamento é real. “Algumas pessoas não conseguem chegar até o fim do tratamento, mas mesmo assim, com esse número, temos mais resultados positivos de pessoas que estão vencendo na luta contra o tabagismo”, disse.
Para Ademir dos Reis, de 63 anos, é bastante difícil parar de fumar e já até pensou em desistir, mas ele segue confiante no resultado. “Eu gosto muito de fumar, mas sei que preciso parar. Eu me sinto melhor quando paro e não quero voltar”, disse. Já para a esposa dele, Maria Dias, é um alívio para ela e seus filhos ver o marido sem fumar. “Esse programa está sendo ótimo para ele. Espero que ele não pare, pois toda a família fica aliviada”, contou.
Marcos Felipe, médico da Rede Municipal de Saúde, alerta para os riscos com o cigarro. “Com os anos de fumante, a nicotina vai se impregnando por todo o organismo, em especial os vasos e as artérias. Uma pessoa fumante tem um maior risco de desenvolver um infarto no coração, doença obstrutiva pulmonar, câncer de boca, faringe e laringe, entre outras”, explicou.
Sobre a data - Em 1987, a Organização Mundial da Saúde (OMS) criou o Dia Mundial sem Tabaco – 31 de maio. A data tem o objetivo de alertar sobre as mortes evitáveis relacionadas pelo o uso do cigarro e as doenças.
Serviço – Os dependentes em tabaco devem procurar os seguintes locais para serem inseridos no tratamento: Centro de Atenção Integral à Saúde (Cais) Cristo, Cais Mangabeira, Cais Jaguaribe, Centro de Atenção Psicossocial (Caps) AD David Capistrano e Centro de Saúde de Mandacaru. No primeiro momento, o interessado vai fazer o cadastro e participar de uma entrevista. Cada um desses centros conta com uma equipe de profissionais qualificados.
Portal Correio

Sem comentários: