quinta-feira, 30 de março de 2017

Papa a Superintendências iraquianas: satisfação por este encontro de diálogo

Cidade do Vaticano (RV) - Antes da Audiência Geral desta quarta-feira (29/03), o Papa Francisco recebeu em seu escritório, na Sala Paulo VI, no Vaticano, os participantes da reunião da Comissão Permanente para o Diálogo entre o Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso e as Superintendências iraquianas para os xiitas, sunitas, cristãos, yazidis, sabeus/mandeus do Ministério para Assuntos Religiosos do País do Golfo.
O Pontífice saudou e agradeceu os participantes pela visita e presença, e ouviu, comovido, histórias de violência e destruição. 
“Tenho grande satisfação por este encontro de diálogo e fraternidade. Somos todos irmãos, e onde há fraternidade, há paz. Somos todos filhos de Deus e temos um Pai comum aqui na Terra: Abraão”, disse Francisco.
“Somos irmãos e como irmãos somos diferentes e iguais, como os dedos de uma mão: os dedos são cinco, mas são diferentes. Agradeço a Deus, ao Senhor, que nos ajudou a estar unidos aqui. Esse diálogo, essa visita é uma riqueza verdadeira de fraternidade. Por isso, é uma estrada para a paz, de todos. A paz do coração, a paz das famílias, a paz dos países, a paz do mundo.”

O Santo Padre pediu a Deus para abençoar os participantes desse encontro e pediu-lhes para rezar por ele.

Uma cópia do Alcorão e um manto tradicional foram presenteados ao Papa Francisco. Esses dons manifestam o desejo de diálogo dos muçulmanos iraquianos que vieram a Roma para relançar as iniciativas comuns com o Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso, cujo presidente é o Cardeal Jean-Louis Tauran. 
O Papa encorajou os participantes iraquianos que apresentaram-lhe situações dramáticas, como as vividas pelas populações civis retidas nos bairros ocidentais de Mosul.

Foi reconhecido o trabalho de assistência desempenhado pela Igreja católica entre os pobres e deslocados, sem distinção de pertença religiosa.

Ao apresentar ao Papa o trabalho da comissão, o Cardeal Tauran lembrou que “verdade, justiça, amor e liberdade são as colunas da paz na perspectiva de cristãos e muçulmanos” e que a caridade é uma linguagem concreta, comum e compreensível a todos.

Estavam presentes alguns membros do dicastério vaticano, como Dom Miguel Ángel Ayuso Guixot, secretário, e Mons. Khaled Akasheh, responsável pelo escritório para o Islã, além de alguns protagonistas do diálogo inter-religioso no Iraque.

(MJ)

Sem comentários: