sexta-feira, 19 de janeiro de 2018

Para nossa meditação Salmos 18

Resultado de imagem para biblia1 Eu te amarei, ó SENHOR, fortaleza minha.
2 O Senhor é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus, a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio.
3 Invocarei o nome do Senhor, que é digno de louvor, e ficarei livre dos meus inimigos.
4 Tristezas de morte me cercaram, e torrentes de impiedade me assombraram.
5 Tristezas do inferno me cingiram, laços de morte me surpreenderam.
6 Na angústia invoquei ao Senhor, e clamei ao meu Deus; desde o seu templo ouviu a minha voz, aos seus ouvidos chegou o meu clamor perante a sua face.
7 Então a terra se abalou e tremeu; e os fundamentos dos montes também se moveram e se abalaram, porquanto se indignou.
8 Das suas narinas subiu fumaça, e da sua boca saiu fogo que consumia; carvões se acenderam dele.
9 Abaixou os céus, e desceu, e a escuridão estava debaixo de seus pés.
10 E montou num querubim, e voou; sim, voou sobre as asas do vento.
11 Fez das trevas o seu lugar oculto; o pavilhão que o cercava era a escuridão das águas e as nuvens dos céus.
12 Ao resplendor da sua presença as nuvens se espalharam, e a saraiva e as brasas de fogo.
13 E o Senhor trovejou nos céus, o Altíssimo levantou a sua voz; e houve saraiva e brasas de fogo.
14 Mandou as suas setas, e as espalhou; multiplicou raios, e os desbaratou.
15 Então foram vistas as profundezas das águas, e foram descobertos os fundamentos do mundo, pela tua repreensão, Senhor, ao sopro das tuas narinas.
16 Enviou desde o alto, e me tomou; tirou-me das muitas águas.
17 Livrou-me do meu inimigo forte e dos que me odiavam, pois eram mais poderosos do que eu.
18 Surpreenderam-me no dia da minha calamidade; mas o Senhor foi o meu amparo.
19 Trouxe-me para um lugar espaçoso; livrou-me, porque tinha prazer em mim.
20 Recompensou-me o Senhor conforme a minha justiça, retribuiu-me conforme a pureza das minhas mãos.
21 Porque guardei os caminhos do Senhor, e não me apartei impiamente do meu Deus.
22 Porque todos os seus juízos estavam diante de mim, e não rejeitei os seus estatutos.
23 Também fui sincero perante ele, e me guardei da minha iniqüidade.
24 Assim que retribuiu-me o Senhor conforme a minha justiça, conforme a pureza de minhas mãos perante os seus olhos.
25 Com o benigno te mostrarás benigno; e com o homem sincero te mostrarás sincero;
26 Com o puro te mostrarás puro; e com o perverso te mostrarás indomável.
27 Porque tu livrarás o povo aflito, e abaterás os olhos altivos.
28 Porque tu acenderás a minha candeia; o Senhor meu Deus iluminará as minhas trevas.
29 Porque contigo entrei pelo meio duma tropa, com o meu Deus saltei uma muralha.
30 O caminho de Deus é perfeito; a palavra do Senhor é provada; é um escudo para todos os que nele confiam.
31 Porque quem é Deus senão o Senhor? E quem é rochedo senão o nosso Deus?
32 Deus é o que me cinge de força e aperfeiçoa o meu caminho.
33 Faz os meus pés como os das cervas, e põe-me nas minhas alturas.
34 Ensina as minhas mãos para a guerra, de sorte que os meus braços quebraram um arco de cobre.
35 Também me deste o escudo da tua salvação; a tua mão direita me susteve, e a tua mansidão me engrandeceu.
36 Alargaste os meus passos debaixo de mim, de maneira que os meus artelhos não vacilaram.
37 Persegui os meus inimigos, e os alcancei; não voltei senão depois de os ter consumido.
38 Atravessei-os de sorte que não se puderam levantar; caíram debaixo dos meus pés.
39 Pois me cingiste de força para a peleja; fizeste abater debaixo de mim aqueles que contra mim se levantaram.
40 Deste-me também o pescoço dos meus inimigos para que eu pudesse destruir os que me odeiam.
41 Clamaram, mas não houve quem os livrasse; até ao Senhor, mas ele não lhes respondeu.
42 Então os esmiucei como o pó diante do vento; deitei-os fora como a lama das ruas.
43 Livraste-me das contendas do povo, e me fizeste cabeça dos gentios; um povo que não conheci me servirá.
44 Em ouvindo a minha voz, me obedecerão; os estranhos se submeterão a mim.
45 Os estranhos descairão, e terão medo nos seus esconderijos.
46 O Senhor vive; e bendito seja o meu rochedo, e exaltado seja o Deus da minha salvação.
47 É Deus que me vinga inteiramente, e sujeita os povos debaixo de mim;
48 O que me livra de meus inimigos; sim, tu me exaltas sobre os que se levantam contra mim, tu me livras do homem violento.
49 Assim que, ó Senhor, te louvarei entre os gentios, e cantarei louvores ao teu nome,
50 Pois engrandece a salvação do seu rei, e usa de benignidade com o seu ungido, com Davi, e com a sua semente para sempre.

Mulher reage a assalto com ‘vassouradas’ em bandido; veja

Uma mulher reagiu a um assalto na manhã desta sexta-feira (19) no Bairro dos Estados, em João Pessoa. O suspeito chegou em uma moto enquanto duas mulheres conversavam em uma esquina e anunciou o assalto. Uma das vítimas, que estava varrendo a rua, pegou a vassoura e começou a bater no assaltante, que fugiu.
Até o fechamento desta reportagem a Polícia Militar ainda não tinha registrado a ocorrência.
Portal Correio

Matruz com Leite é uma das atrações desta sexta (19) nos festejos de São Sebastião em Lagoa de Dentro-PB

Depois de receber grandes nomes da cultura nordestina, cantores da música brega como Paulo Márcio, Lairton dos Teclados, entre outros, e artistas como Avine Vinny e Rhuan Farra, o palco da Festa de São Sebastião em Lagoa de Dentro, recebe nesta sexta-feira, 19 de janeiro, os cantores Geninho Batalha, Alexandre Carvalho e o Forró Mastruz com Leite.
Os shows começam a partir das 22h00 no Calçadão da Lagoa, Francisco Soares.
A maior festa do Padroeiro São Sebastião da Paraíba, que começou na última segunda (15), termina no sábado (20) com show do Padre Nilson Nunes, na Praça da Vitória, próxima a Igreja Matriz.
O evento é considerado a maior festa de São Sebastião no Estado da Paraíba devido a quantidade de dias e a diversidade musical e artística. Para o Prefeito Fabiano Pedro o investimento não é apenas na promoção do lazer, mas principalmente na fomentação da economia local. “São muitas as pessoas que aproveitam o período de festa para ampliar a renda de sua família através da comercialização no evento. É mais fomento para nossa economia.” Comentou.
Assessoria 1

MEC antecipa data do Sisu; inscrições começam dia 23

A abertura das inscrições no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) foi antecipada para 23 de janeiro, conforme anunciou hoje (18) o ministro da Educação, Mendonça Filho. Segundo ele, estudantes que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2017 e que queiram tentar uma vaga em instituições públicas de ensino superior têm entre 23 e 26 de janeiro para se inscrever.
O anúncio foi feito durante entrevista coletiva para divulgar os resultados do Enem 2017, liberados pouco antes das 12h de hoje. O prazo inicial para registrar a nota da prova e se candidatar a uma instituição pública de ensino superior era de 29 de janeiro a 1º de fevereiro. De acordo com o ministro da Educação, o motivo da antecipação seria apenas “saciar a ansiedade” dos candidatos.
O cronograma das demais seleções da pasta, como o Programa Universidade para Todos (ProUni) e o Programa de Financiamento Estudantil (Fies), segundo ele, permanece inalterado.
Agência Brasil

Juiz cassa mandatos do prefeito e vice de Curral Velho e determina novas eleições

O juiz Antônio Eugênio, da 33ª Zona Eleitoral, de Itaporanga (PB), julgou procedente, na manhã desta sexta-feira (19), uma Ação de Impugnação de Mandato Eletivo (AIME), pedindo a cassação do prefeito Curral Velho, Joaquim Alves Barbosa Filho (Filhinho), do PSDB, e do seu vice Manoel Estrela.
Além de cassar os mandatos, o juiz também determinou novas eleições na cidade.
A AIME foi ajuizada pelo então candidato a prefeito do PR, Taciano Luis Barbosa Diniz da Coligação “Curral Velho merece atenção e respeito”.
Na ação, a Coligação “Curral Velho merece atenção e respeito” alega que o prefeito Filhinho e Manoel Estrela agiram e incorreram em situações de suposta corrupção eleitoral e de abuso do poder econômico, mediante contratações indiretas e irregulares de eleitores, realização de exames e cirurgias com fins eleitoreiros e irregularidades na arrecadação e gastos de campanha, tudo a beneficiar as suas candidaturas nas eleições de outubro de 2016.
O prefeito “Filhinho” disse que sua assessoria jurídica irá recorrer da decisão. O advogado Junior Remígio, que defende o prefeito, disse ao site DiamanteOnline que será apresentado um Recurso Ordinário ao TRE, na 33ª Zona de Itaporanga, bem como uma Ação Cautelar com efeito suspensivo da decisão de 1º grau e provará com informações do próprio Tribunal de Contas do Estado (TCE-PB) e relatórios emitidos ao Ministério Público, que não houve tais gastos narrados pela Coligação recorrente.
Diamante Online

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

TRE-PB inicia extinção de nove das 77 zonas eleitorais na PB

O Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE) iniciou o ano colocando em prática o rezoneamento com a extinção de nove e transferência cinco das 77 zonas eleitorais existentes no Estado. Por meio de editais, que vem sendo publicados no Diário Eletrônico da Justiça Eleitoral, juízes e chefes de cartórios comunicam aos eleitores e aos dirigentes de partidos políticos as mudanças que haverá nos municípios, atingidos com as alterações, que atingirão 500 mil eleitores.
A operacionalização começará a ser realizada a partir de agora, conforme anunciou a presidente do TRE-PB, Maria das Graças Morais Guedes, de forma gradativa e sem causar prejuízos aos eleitores neste ano eleitoral, já que os cartórios que a abrigavam algumas zonas serão transformados em postos de atendimentos.
O rezoneamento é uma determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), por meio da resolução 23.520/2017, que visa reduzir gastos e otimizar os serviços da Justiça Eleitoral. Na Paraíba foi disciplinado por meio da resolução 14/2017, aprovada em agosto do ano passado pela Corte Eleitoral, após os estudos realizados por uma comissão especial que tratou do assunto, presidida pelo diretor-geral do TRE, André Soares Cavalcanti, que trabalhou no sentido de amenizar os impactos da resolução, que previa inicialmente a redução de 49 das 77 zonas eleitorais da Paraíba.
André Soares Cavalcanti, explicou que apesar de atingir 500 mil eleitores, o rezoneamento não trará prejuízos e não vai alterar o processo de votação nos municípios afetados. “Os locais de votação não vão mudar, o que pode acontecer são os números das seções mudarem já que as zonas foram extintas ou realocadas, por questões técnicas. Mas isso não será de imediato porque a mudança é muito mais administrativa do que prática. A nossa intenção é que aconteça tudo como ocorreu nas últimas eleições” explicou.
 PB Agora

Alagoinha: Prefeito Jeová José entrega ambulância nova para o SAMU

Nenhum texto alternativo automático disponível.
Amanhã é dia de festa em ALAGOINHA!!!
Já começamos 2018 com pé direito!!!
Convidamos a todos para participar da entrega de uma Nova Unidade Móvel de Suporte Básico do Samu para nossa população!!!
A concentração será em frente à Escola Agenor Clemente dos Santos as 18:00HRS desta sexta-feira (19)!!

Vem participar e ver o presente que é nosso!!
O governo você já conhece!!!
É o Governo com Respeito a Todos

Placas de Trânsito: você sabe o que é sinalização vertical e como ela funciona?

São placas de diversas cores e formatos, pinturas no pavimento com padrões variados, sinais luminosos, entre outros recursos.

No entanto, boa parte da população, inclusive condutores, não conhece a infinidade de significados e as divisões que separam os tipos de sinalização e determinam suas funções no trânsito.

Neste artigo, falarei sobre o elemento mais notável da sinalização no Brasil: as placas de trânsito.

Tipos de sinalização

Os tipos de sinalização são bastante variados e dividem-se em 6 categorias, segundo o art. 87 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

Eles são sinais verticais, sinais horizontais, dispositivos de sinalização auxiliar, luminosos, sonoros, gestos do agente e do condutor.

Para tanto, existe uma hierarquia no CTB que define qual a ordem de prevalência de cada um deles.

O primeiro a ser considerado é o gesto do agente de trânsito, tendo em vista que a presença de condições incomuns pode fazer com que a sinalização local não indique o que, de fato, o condutor deve seguir. Sendo assim, designa-se a presença de agente de trânsito para organizar o fluxo.

Em segunda posição na ordem de prevalência, estão as indicações feitas por semáforos e, depois, os demais sinais de trânsito.

Aqui, trataremos com maior afinco da Sinalização Vertical, que é uma das categorias dos sinais de trânsito que utilizamos e que abrange, majoritariamente, as placas de trânsito usadas para dar informações diversas nas vias.

Sinalização Vertical

A sinalização vertical é uma categoria que engloba sinais colocados nas laterais ou acima das vias por meio de placas que transmitem uma mensagem aos usuários.

Ela se divide, ainda, em três outros subgrupos que abrangem, cada, um conjunto de sinais com determinado objetivo.

Esses subgrupos são: Sinalização de Regulamentação, Sinalização de Advertência e Sinalização de Indicação.

Ao todo, são mais de 100 placas padrão, mais aquelas placas chamadas de “especiais”, que são criadas quando há necessidade de informar algo que vá além das sinalizações já existentes. Elas costumam dizer respeito a particularidades da via.

Cada categoria possui cores, formatos e dimensões especificados nos volumes I, II e III do Manual de Brasileiro de Sinalização de Trânsito e na Resolução do CONTRAN (Conselho Nacional de Trânsito) nº 160/04.

Regulamentação

Como você pode imaginar, os sinais englobados no subgrupo de Regulamentação dizem respeito às regras impostas para circulação na via e expressam proibições, condições, obrigações e restrições.

As placas de sinalização que expressam regulamentação recebem as cores branca, vermelha e preta. Seu formato é circular, mas há duas exceções: a placa R-1, “PARE”, que é octogonal, ou seja, tem 8 lados; e a placa R-2, “Dê a preferência”, que é um triângulo invertido.

A essa categoria são somadas 51 placas padrão que podem contar com informações complementares em placas retangulares associadas ou colocadas junto a elas.

As informações de complementação podem ser, por exemplo, dias da semana e horários em que tal espaço pode ou não pode ser usado para parar ou estacionar veículos.

Advertência

As placas de advertência, por sua vez, têm o objetivo de avisar o condutor a respeito de condições que podem ser perigosas durante a circulação na via.

Suas cores são preto e amarelo, de maneira geral, apenas com adições de vermelho e verde na placa A-14, que indica semáforo, e com exceção da placa A-24, que indica obras na via e é laranja e preta.

Sua forma é quadrada com uma diagonal na horizontal e outra na vertical.

Esse formato padrão somente se altera nas placas A-26a e A-26b, que são retangulares e indicam, respectivamente, sentido único e sentido duplo, e na placa A-41, chamada de “Cruz de Santo André”, que indica cruzamento de linha férrea com a via.

Indicação

Por fim, os sinais de indicação são responsáveis por situar o usuário da via quanto à identificação, às distâncias entre localidades, aos serviços oferecidos nas proximidades, à educação no trânsito, aos postos de fiscalização, enfim.

É a categoria com maior abrangência e, por isso, suas cores aparecem em 4 combinações diferentes, de acordo com o tipo de indicação que faz:

- Preto e branco: identificação de rodovias e placas educativas.

- Marrom e branco: orientação quanto a atrativos turísticos.

- Azul e branco: identificação de modo geral (ruas, avenidas, pontes, municípios, etc.), marcação quilométrica, orientação de destinos e distâncias para estradas e rodovias, serviços (posto de combustível, hotel, etc.), orientação de pedestres (localização de faixas de segurança, por exemplo).

- Verde e branco: distâncias e destinos.

Diferença entre as placas de PARE de regulamentação e de advertência

O sistema de sinalização conta com 2 placas diferentes que exibem a mensagem “PARE”. No entanto, cada uma delas está alocada em uma categoria de placas de sinalização. Uma é de regulamentação (R-1) e a outra de advertência (A-15).

A diferença delas é básica, mas gera dúvidas em muitas pessoas, especialmente naquelas que estão realizando o processo de habilitação pela primeira vez.

O primeiro aspecto que as diferencia é o formato. A placa R-1 tem formato octogonal, enquanto a placa A-15 tem formato quadrado inclinado.

A segunda divergência visual é relacionada ao uso das cores: a R-1 é vermelha e branca e a A-15 é amarela e preta.

Quanto a seus significados, uma precede a outra, a fim de que o aviso de parada não seja dado de forma repentina. Nesse sentido, a placa A-15 é colocada como um aviso de parada obrigatória à frente e pode vir acompanhada de “A 100m”, por exemplo.

A placa de PARE vermelha, cujo código é R-1, é colocada pontualmente no local onde a parada obrigatória deve ser feita e indica que o condutor deve parar antes de entrar na via ou atravessá-la.

Infrações para condutor que desrespeitar sinalização

O Código de Trânsito ainda prevê, para o condutor que agir de forma a desrespeitar a sinalização das vias, infrações de trânsito que podem ser médias, graves ou gravíssimas.

Exemplos disso são as infrações do art. 181 por estacionar de forma indevida ou em local e horário proibidos. Os preços das multas variam entre R$ 130,16 (médias), R$ 195,23 (graves) ou R$ 293,47 (gravíssimas).

Isso sem falar nos pontos que serão adicionados à carteira de habilitação do condutor infrator, 4, 5 e 7, respectivamente.

Respeitar a sinalização é, mais do que evitar multas e pontos, um dever de todos para que o trânsito seja seguro e para que o número de acidentes nas vias seja cada vez menor.

Conhecia as variedades de placas de sinalização? Acredita que elas sejam uma forma efetiva de sinalizar as vias? Dê a sua opinião nos comentários!

Por Doutor Multas
Fonte: Jus Brasil

Botijão de gás de cozinha ficará 5% mais barato nas refinarias a partir desta sexta

O botijão de gás de cozinha ficará 5% mais barato nas refinarias a partir desta sexta-feira (19), segundo informou a Petrobras em fato relevante divulgado nesta quinta-feira (18).
De acordo com a petroleira, sua diretoria executiva aprovou a revisão de política de preços do gás liquefeito de petróleo (GLP) residencial, comercializado em botijões, o chamado gás de cozinha. Foram definidos novos critérios para reajustes em GLP residencial e uma regra de transição para 2018, que permitirá a redução do preço do produto. A revisão de preços, que antes era mensal, será trimestral.
O preço médio de GLP residencial sem tributos comercializado nas refinarias da Petrobras será equivalente a R$ 23,16 por botijão de 13kg. No entanto, como os preços no mercado de combustíveis e derivados são livres, os reflexos no preço final ao consumidor vão depender de repasses feitos especialmente por distribuidoras e revendedores.
“O objetivo, conforme já anunciado, foi suavizar os repasses da volatilidade dos preços ocorridos no mercado internacional para o preço doméstico”, destacou a Petrobras.
No ano passado, o botijão de gás registrou um aumento de 16%, representando um dos principais impactos no Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).
No dia 5 de dezembro, a Petrobras elevou os preços GLP em 8,9%. Na ocasião, o reajuste foi motivado principalmente devido à alta das cotações do produto nos mercados internacionais.

Mudanças

O que muda com a nova política de preços:
  • Os ajustes de preços passam a ser trimestrais em vez de mensais, com vigência no dia 5 do início de cada trimestre
  • O período de apuração das cotações internacionais e do câmbio que definirão os percentuais de ajuste será a média dos 12 meses anteriores ao período de vigência
  • Reduções ou aumentos de preços superiores a 10% terão que ser autorizadas pelo Grupo Executivo de Mercado e Preços
  • Criação de um mecanismo de compensação que permitirá comparar os preços praticados segundo esta nova política e os preços que seriam praticados de acordo com a política anterior
  • Em 2018, excepcionalmente, o cálculo da variação do preço seguirá a seguinte regra de transição: redução imediata de 5% no preço vigente a partir de 19/01, apurado com base nas médias das cotações internacionais e do câmbio de 01 a 12/01/2018.
G1

Garoto de programa suspeito de gravar vídeo e extorquir cliente é preso na PB

Resultado de imagem para Garoto de programa suspeito de gravar vídeo e extorquir cliente é preso na PBUm homem, de 22 anos, que trabalha como garoto de programa foi preso na noite de quarta-feira (17) no bairro de Mandacaru em João Pessoa suspeito de extorquir um cliente. De acordo com a Polícia Civil, o suspeito havia gravado a relação sexual com o cliente com uma câmera escondida e fez ameaças para publicá-lo caso a vítima não pagasse R$ 5 mil. A prisão foi feita pelo Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil.
O homem que havia mantido relação sexual com o garoto de programa procurou a Polícia Civil após o início da extorsão e denunciou o caso. Ainda segundo o GOE, o suspeito gravou a relação sexual com a vítima usando câmera escondida em uma réplica de chave de carro. A polícia investiga se outros clientes do garoto de programa também foram gravados e extorquidos, uma vez que apenas um deles procurou a polícia.
Em um dos áudios enviados pelo suspeito de extorsão a vítima por meio de um aplicativo de celular. Na mensagem divulgada pela polícia, o suspeito faz ameaça e dá um prazo para o pagamento. “Você vai me pagar até segunda-feira, seu safado, ou então eu vou publicar o vídeo para todo mundo ver, para sua mulher saber que você é veado”, avisou o garoto de programa.
Em depoimento à polícia, o suspeito explicou que é a primeira vez que faz isso e só fez esse tipo de ameaça porque estava devendo R$ 1 mil e precisava de dinheiro. O suspeito foi ouvido e encaminhado para a carceragem da Central de Polícia, em João Pessoa. Até a manhã desta quinta-feira (18) ele seguia preso, à espera da audiência de custódia.
G1

Homem tenta comer a carteira de motorista após ser parado pela polícia; veja vídeo

Um motorista da cidade da província Guizhou, China, tomou uma atitude inesperada quando foi parado pela polícia. Imagens de uma câmera utilizada por um policial mostram o momento que o jovem tira a habilitação do bolso e tenta comê-la. O rapaz mastiga com dificuldade enquanto o oficial olha incrédulo.
Como não consegue engolir a carteira, o jovem, que foi identificado apenas como Xu, teve que pagar uma multa de cerca de R$ 200, além de receber 15 pontos na carteira. Segundo a polícia, ele foi parado por estar em um veículo sem placa.

Vídeo abaixo



Ainda de acordo com os oficiais, o rapaz ficou desesperado porque tinha uma carteira de motorista provisória e ainda esperava pela definitiva. Com a multa, Xu terá que refazer os exames de direção.

Por Ataide de Almeida Jr.
Fonte: www.metropoles.com

Região do Brejo receberá Vila Criativa com empreendimentos de gastronomia e artesanato

A partir do mês de março, a estrada para o novo Engenho Triunfo, na região do brejo paraibano, receberá diversos empreendimentos dos setores da gastronomia e do artesanato – será a Vila Criativa Caminho das Flores. Essa é uma das ações que foi desencadeada pelo curso “Formação de Empreendedores em Visão Territorial Sustentável”, oferecido pelo Sebrae Paraíba, que terá uma nova edição a partir do próximo mês de março.
“O curso possibilitou que eu tivesse uma visão mais empoderada com conhecimentos científicos para continuar promovendo o empreendedorismo territorial da região com muito mais segurança”, afirma a sócia proprietária do Engenho Triunfo, que está a frente do projeto da Vila, Maria Júlia Baracho, avaliando a experiência do curso como extremamente produtiva, tanto pelos aprendizados como também pela troca de experiências.
Por meio do curso, busca-se fazer com que as lideranças possam trabalhar melhor os territórios onde se encontram, gerindo-os de forma a alcançar parcerias e organizar estratégias de forma a promover o desenvolvimento das comunidades. O curso é voltado para gestores públicos, lideranças políticas e empresariais, além de empresários e empreendedores em potencial.
O Curso 
A ementa do curso conta com oito módulos, que discutirão os temas: território e o desenvolvimento local; rede empresarial local e regional; capital social e capital humano; criatividade e empreendedorismo; governança e competitividade; liderança; o papel das novas tecnologias da informação e comunicação na competitividade; criação de novas empresas com foco no estímulo ao turismo como fator de desenvolvimento local. As aulas serão presenciais, realizados a cada 15 dias. Além das aulas teóricas teremos exercícios práticas, estudos de caso e três visitas técnicas.
Entre os profissionais de destaque que irão ministrar os módulos estão Tania Zapata, consultora sênior na área de desenvolvimento territorial sustentável, arranjos produtivos locais, planejamento estratégico e desenvolvimento humano, do Instituto de Assessoria para o Desenvolvimento Humano (IADH); e Alberto dos Santos Cabral, doutor em desenvolvimento sustentável pela Universidade de Brasília, que atua nas áreas de desenvolvimento sustentável, planejamento estratégico e construção de cenários prospectivos.
As inscrições podem ser feitas no Sebrae Paraíba, à Av. Maranhão, 983 – Estados, João Pessoa – PB, 58030-261 – (83) 2108-1100.

Assessoria Sebrae

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Confira as novidades do Esquinão do Jeans de Guarabira

Andar na moda é mais fácil do que você imagina. as roupas da estação com os preços que você nem imagina estão esperando por você na loja Esquinão do Jeans.
Seja para homens ou mulheres, jovens ou crianças, o melhor está aqui. Vista-se com o seu jeito e com nossos artigos, pois você merece o melhor. Loja Esquinão do jeans, onde a moda se faz do seu jeito. Avenida Dom Pedro ll 573 Centro Guarabira.

Odor insuportável! Homem pede divórcio da mulher por não aguentar mais o seu chulé

Um homem virou notícia na China ao pedir divórcio da esposa por conta do chulé de sua companheira. A uma emissora local, o rapaz chamado Su confessou que chegou a pedir a sua amada para que lavasse os pés com mais frequência, mas, sem sucesso em sua empreitada, o relacionamento se tornou insustentável.

À repórter, Su chega a afirmar que o cheiro dos pés de sua mulher "é tão forte que seria capaz de nocautear todos os passageiros de um ônibus cheio".

Morador da província de Henan, o homem confidenciou que, ao se recusar a lavar os pés mais vezes por semana, a mulher chegou a dizer que preferia "vê-lo sufocado pelo cheiro até a morte". Os dois ainda estão juntos, mas Su está convicto de que chegou a hora do fim da relação, que já dura sete anos.

"Ela é muito desleixada. Deixa as roupas jogadas por todos os lados", contou Su à emissora, reclamando que a mulher espalha pilhas de roupas sujas por uma semana, podendo chegar a dez dias. Ele chegou a mostrar, durante a reportagem, uma meia suja que supostamente seria dela e estava embaixo do seu travesseiro.

No entanto, apesar da bagunça, Su afirma que o chulé vem sendo o maior problema do casal. "Toda vez que volto para casa é horrível, um cheiro muito forte", diz o homem, comentando que, no verão, a esposa só toma banho a cada três dias (podendo chegar a um intervalo de cinco). E, claro, só lava seus pés nestes raros momentos de banho. A identidade da moça, claro, é preservada durante a reportagem.

Fonte: extra globo

R$ 2 mil: Estado terá de indenizar estudante agredido por colegas dentro de escola

Ao receber o aluno em qualquer estabelecimento da rede oficial de ensino, o poder público assume a obrigação de zelar pela sua integridade física, devendo utilizar todos os meios necessários para cumprir essa incumbência, sob pena de incorrer em responsabilidade civil pelos danos causados ao estudante.

Esse foi o entendimento aplicado pela 1ª Turma Recursal dos Juizados Especiais ao manter sentença que condenou o Acre a indenizar um jovem agredido por seus colegas em escola pública. O valor foi fixado em R$ 2 mil.

O juiz Fernando Nóbrega, relator do processo, ratificou a responsabilidade civil objetiva do ente público estadual ao falhar em seu dever de guarda e vigilância da incolumidade física dos alunos em estabelecimento de ensino.

Em seu voto, o relator esclareceu que nos autos está caracterizado que o poder público responde de forma objetiva por qualquer lesão sofrida pelo aluno, seja qual for a sua natureza, ainda que causada por terceiro, pela falta de zelo na segurança, na forma do artigo 37, parágrafo 6º, da Constituição Federal.

Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-AC.

Processo 0600240-95.2015.8.01.0070

Fonte: Conjur

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Lei proíbe cerol em linha de pipa e impõe fim de tradição

Cerol é produzido à base de vidro moído - Foto: Lúcio Távora | Ag. A TARDE | 16.10.2016Soltar pipa é uma prática que, tradicionalmente, mistura ludicidade com espírito competitivo. Normalmente, destaca-se aquele empinador que, além de elaborar a arraia mais estilosa, utiliza o cerol – material produzido à base de vidro ou mármore moído – para cortar a linha da pipa do oponente.
No entanto, os soteropolitanos amantes deste jogo terão de mudar a estratégia. Isso porque o prefeito ACM Neto sancionou, no início deste mês, o projeto de lei que proíbe o uso de quaisquer objetos cortantes na preparação das linhas de pipas, arraias e papagaios.
O texto, de autoria do vereador Tiago Correia (PSDB), visa, primeiramente, advertir o soltador irregular de papagaio. Em caso de reincidência, será aplicada uma multa de R$ 70. O montante arrecadado será destinado ao Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FMDCA).
Sancionada pelo Executivo, a lei tem um prazo de 60 dias para regulamentação. Após isso, o município vai decidir qual órgão será responsável pela fiscalização.
Segundo Tiago Correia, a proibição do uso de materiais cortantes é necessária para evitar acidentes e mortes com motociclistas e ciclistas, além de coibir interrupções de energia elétrica, que são provocadas por arraias presas na rede.
Dados da Companhia de Eletricidade do Estado da Bahia (Coelba) registraram, até maio deste ano, 110 interrupções de energia em Salvador e na região metropolitana (RMS) acarretadas por linhas de pipa.
De acordo com a assessoria de comunicação da empresa, os bairros da Boca do Rio, Itapuã e Paripe estão na lista dos mais afetados.
Já a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), a Polícia Civil e a Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) não registram estatísticas de acidentes envolvendo cerol.
Porém o presidente do Sindicato dos Motociclistas, Motoboys e Mototaxistas (Sindmoto), Henrique Baltazar, reconhece o alto índice de pilotos feridos com linhas de arraia. Ele lembra que, há cinco anos, um motociclista morreu após ser atingido por linha na região da Boca do Rio.
Baltazar, que elogiou a lei, toma algumas medidas de segurança para evitar problemas com cerol. "Minha moto tem antena corta-pipa. Eu também reduzo a velocidade quando passo pela orla da Boca do Rio, onde sempre há um pessoal empinando arraia", diz.
Divergência
Se a proibição das linhas de cerol agradou a quem trafega sob duas rodas, a medida não foi bem-vinda entre os amantes da prática que ocupam o espaço do antigo Aeroclube.
O autônomo Cláudio César, que empina arraia há 24 anos, explica a importância do cerol na linha para valer a competição. "Assim como todo esporte, na pipa existem vencedores e vencidos. Usar a linha cortante para derrubar a arraia do outro é uma forma de vencer a disputa", defende.
Cláudio ainda criticou a falta de diálogo do poder público na aprovação da lei. "Os políticos nos enxergam como marginais, não como esportistas", protesta.
Sobre a competição, o aposentado Antônio Mendes, que também é empinador, interpreta como algo cultural que, segundo ele, precisa ser respeitado.
"São gerações de famílias que soltam pipa na Boca do Rio. Nesse grupo, não há registro de assalto e tráfico de drogas, porque as pessoas se respeitam", diz.
Para Antônio, o poder público deveria construir um local apropriado para soltar pipa (pipódromo). "Esses espaços já existem em outros países, como Chile, Índia e França", diz.
Praticantes propõem criação de ‘pipódromo’
Em resposta à lei que proíbe o uso de cerol nas linhas de pipa, o comerciante Heraldo Carvalho solicitou uma audiência com a prefeitura e o Legislativo para discutir a construção de um pipódromo em Salvador.
“A intenção é fazer com que sejamos reconhecidos como esportistas. A prática da pipa não pode ser marginalizada”, explica Heraldo sobre as razões da reunião.
Ele, que também educa crianças sobre empinar arraia de forma segura, vem negociando com o vereador Tiago Correia a construção do espaço.
Diante desse debate, a Câmara Municipal já enviou ao prefeito ACM Neto um documento com a solicitação de estudo para construir o espaço exclusivo para empinar pipas.
Heraldo sugere o local do areal de Itapuã, próximo à Lagoa do Abaeté, como um dos lugares possíveis para implantar um pipódromo.
“Lá é longe da pista de carros e de postes de energia. Além disso, as pessoas estão acostumadas a empinar arraia nesse lugar”, explica.
Sobre o endereço do local destinado aos soltadores de pipa, o vereador Tiago Correia acatou a sugestão de Heraldo, mas pediu cautela.
“É preciso fazer estudos sobre os impactos ambientais da construção de um pipódromo. Além disso, é necessário estabelecer um local que não ofereça risco às pessoas. Por enquanto, ainda não há lugar decidido”, esclarece o legislador.
Associação
A falta de diálogo para aprovar a lei foi a principal crítica dos empinadores de pipa. Sobre esta questão, Tiago Correia explica que a falta de uma entidade que represente os praticantes do esporte dificulta as negociações com a categoria.
O empinador Heraldo Carvalho reconhece esse impasse, mas vem articulando lideranças do esporte para implantar a associação baiana de pipas.
“Além de servir para representar os empinadores diante do poder público, a entidade será responsável por organizar campeonatos na capital e no interior”, planeja o vendedor.
Heraldo acredita que a marginalização do esporte prejudica a formação de atletas promissores.
“Com a proibição do esporte, os garotos que, na maioria dos casos, são talentosos podem seguir o caminho das drogas e do crime”, apela.

Uol

Para nossa meditação Salmos 29

Resultado de imagem para biblia1 Dai ao SENHOR, ó filhos dos poderosos, dai ao SENHOR glória e força.
2 Dai ao Senhor a glória devida ao seu nome, adorai o Senhor na beleza da santidade.
3 A voz do Senhor ouve-se sobre as suas águas; o Deus da glória troveja; o Senhor está sobre as muitas águas.
4 A voz do Senhor é poderosa; a voz do Senhor é cheia de majestade.
5 A voz do Senhor quebra os cedros; sim, o Senhor quebra os cedros do Líbano.
6 Ele os faz saltar como um bezerro; ao Líbano e Siriom, como filhotes de bois selvagens.
7 A voz do Senhor separa as labaredas do fogo.
8 A voz do Senhor faz tremer o deserto; o Senhor faz tremer o deserto de Cades.
9 A voz do Senhor faz parir as cervas, e descobre as brenhas; e no seu templo cada um fala da sua glória.
10 O Senhor se assentou sobre o dilúvio; o Senhor se assenta como Rei, perpetuamente.
11 O Senhor dará força ao seu povo; o Senhor abençoará o seu povo com paz.

Alagoinha: Uso do capacete é obrigatório a motociclistas

Imagem relacionadaO Departamento Estadual de Trânsito (Detran.PB) alerta para o uso correto do capacete, equipamento obrigatório que aumenta a segurança dos condutores e passageiros de motocicletas, ciclomotores, triciclos e quadriciclos.
Antes de iniciar o trajeto, é importante checar se o capacete está devidamente fixado à cabeça, preso ao queixo por meio da cinta e com a viseira abaixada.
A viseira, cujo uso ainda encontra grande resistência por parte dos motociclistas, evita a entrada de insetos ou pequenos objetos, como pedras e faíscas, que podem provocar acidentes. Ela só pode ser levantada quando a motocicleta estiver parada.
Na ausência da viseira, é obrigatório o uso de óculos de proteção específico para moto, que não pode ser substituído por óculos de sol, óculos com lentes corretivas ou de segurança do trabalho.
Também para a segurança dos motociclistas, desde 2007, o capacete deve ter a certificação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro), faixas refletivas de segurança nas partes laterais e traseira, além de apresentar bom estado de conservação, sem danos que comprometam a proteção.
“O uso do capacete minimiza as chances de ferimentos graves em caso de acidentes. Por isso, é fundamental que os motociclistas usem o equipamento e os demais itens de segurança não apenas para cumprirem o que determina a legislação, mas principalmente para protegerem a própria vida”
Tipos de capacete e viseira – Existem quatro modelos de capacetes de motocicletas regulamentados pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran): o integral (fechado), o misto (com queixeira removível), o modular (de frente móvel) e o aberto (sem a proteção para o queixo).
Os capacetes popularmente conhecidos como “coquinho” –similares aos utilizados para a prática de ciclismo e skate– não são permitidos, pois não oferecem proteção completa à cabeça, rosto e olhos.
Nos capacetes modulares, além da viseira, a queixeira deverá estar totalmente abaixada e travada durante todo o deslocamento do condutor.
As viseiras permitidas são aquelas nos padrões cristal, fumê light, fumê e metalizado. No período noturno, deve-se usar apenas a viseira cristal. Os demais modelos podem ser utilizados somente durante o dia.
Os equipamentos certificados pelo Inmetro podem ser consultados no site do órgão (www.inmetro.gov.br), na área de “produtos certificados”.
Conservação – A legislação federal de trânsito não estabelece prazo de validade para o capacete. O período para a substituição pode variar de acordo com a frequência de uso e a conservação. Por isso, o motociclista deve ficar atento ao estado do equipamento.
É indicado trocá-lo sempre que ele sofra algum impacto forte, seja em acidentes ou por queda em qualquer situação, ainda que não apresente rachaduras ou outros danos visíveis.
Outro indicador para a aquisição de um novo capacete é a espessura da espuma do forro interno. A diminuição da altura da espuma deixará o capacete folgado, comprometendo a fixação na cabeça e a proteção da área auditiva do motociclista.
A viseira também deve estar em perfeitas condições, sem rachaduras ou arranhões que atrapalhem a visão do condutor. Se o capacete estiver em bom estado, é possível trocar apenas esse item.
Manter o capacete limpo também pode contribuir para a conservação do equipamento. Para isso, é importante seguir as instruções do fabricante.
Infrações – Os motociclistas recebem as penalidades de acordo com o tipo de infração cometida, conforme prevê o Código de Trânsito Brasileiro (CTB):
Leve – Pilotar com o capacete mal afixado à cabeça, utilizando viseira ou queixeira levantadas, sem óculos de proteção ou com viseira fumê no período noturno, por exemplo, é infração leve. O motociclista receberá três pontos na habilitação, além de multa no valor de R$ 53,20.
Grave – Conduzir com capacete sem a certificação do Inmetro, sem as faixas refletivas ou com a estrutura danificada é infração grave, com cinco pontos na habilitação e multa de R$ 127,69.
Gravíssima – Não usar o capacete ou colocá-lo apenas sobreposto à cabeça, sem estar devidamente encaixado, é infração gravíssima. Além de pagar multa no valor de R$ 191,54, o motociclista também responderá a um processo administrativo para a suspensão do direito de dirigir, que pode variar de um até 12 meses, dependendo do histórico do motorista.
G1