terça-feira, 26 de Agosto de 2014

Para nossa meditação Salmos 85

1 Abençoaste, SENHOR, a tua terra; fizeste voltar o cativeiro de Jacó.
2 Perdoaste a iniqüidade do teu povo; cobriste todos os seus pecados. (Selá.)
3 Fizeste cessar toda a tua indignação; desviaste-te do ardor da tua ira.
4 Torna-nos a trazer, ó Deus da nossa salvação, e faze cessar a tua ira de sobre nós.
5 Acaso estarás sempre irado contra nós? Estenderás a tua ira a todas as gerações?
6 Não tornarás a vivificar-nos, para que o teu povo se alegre em ti?
7 Mostra-nos, Senhor, a tua misericórdia, e concede-nos a tua salvação.
8 Escutarei o que Deus, o Senhor, falar; porque falará de paz ao seu povo, e aos santos, para que não voltem à loucura.
9 Certamente que a salvação está perto daqueles que o temem, para que a glória habite na nossa terra.
10 A misericórdia e a verdade se encontraram; a justiça e a paz se beijaram.
11 A verdade brotará da terra, e a justiça olhará desde os céus.
12 Também o Senhor dará o que é bom, e a nossa terra dará o seu fruto.
13 A justiça irá adiante dele, e nos porá no caminho das suas pisadas.

segunda-feira, 25 de Agosto de 2014

Brigas entre os pais prejudicam vínculo com os filhos

As consequências de brigas entre pais e mães respingam no relacionamento deles com seus filhos. É o que aponta uma nova pesquisa americana conduzida na Universidade Metodista do Sul (SMU), em Dalas.
De acordo com a autora do estudo, a professora assistente de psicologia na SMU Chrystyna D. Kouros, o estudo mostra que a qualidade da união do casal impacta o vínculo dos pais com os filhos.

Thinkstock/Getty Images
Estudo mostra que quando os pais têm conflitos no casamento, simultaneamente, as relações com as crianças ficam mais tensas
Os pesquisadores analisaram 203 famílias que preencheram questionários diários por 15 dias. Pais e mães classificavam a qualidade do relacionamento entre eles e também da relação com os filhos. Os relatórios mostraram que quando os pais admitiam conflitos no casamento, simultaneamente, mencionavam tensão nas relações com as crianças.
Pai x mãe
Apesar do estudo determinar que os relacionamentos de uma maneira geral sofrem com as brigas, os pais são os que mais deixam esses conflitos interferir nas relações com os filhos. Segundo, as mulheres parecem ter uma melhor habilidade de separar as esferas da vida cotidiana e, no dia seguinte às brigas, já estabelecem novamente uma boa relação com os filhos. Enquanto os homens prolongam um pouco mais a situação.
“A qualidade ruim de um casamento parece ser até mesmo uma chance de melhorar o relacionamento das mães com seus filhos. No dia do conflito, as relações ficam comprometidas, mas, no dia seguinte, elas conseguem melhorar o relacionamento com as crianças”, afirma Chrystyna em comunicado da universidade.
“Isso não acontece com os pais que, mesmo depois de um dia, continuam se relacionando com as crianças de forma mais tensa”, completa a pesquisadora.
 iG

Batizado do meu primo Eduardo Domingo 24/08/2014 Confira fotos:

Internet aproxima país e ajuda na hora do voto, dizem brasileiros no exterior

A rede mundial de computadores aproximou o país dos brasileiros que moram fora.

Em outubro, um grupo de brasileiros participará da decisão sobre quem governará o país mesmo vivendo a milhares de quilômetros de distância. Os residentes no exterior aptos a votar acompanham a realidade nacional por meio da televisão, de jornais, informações de amigos e parentes, e, mais recentemente, com a ajuda da internet e das redes sociais. Especialistas ouvidos pela Agência Brasil destacam que a rede mundial de computadores aproximou o país dos brasileiros que moram fora. Ressaltam, ainda, que o país está em um período de muita evidência no exterior.
“Existe um acompanhamento por parte dessa população sobre a realidade política brasileira. Isso se potencializou com internet, redes sociais”, destaca o cientista político Antônio Flávio Testa, da Universidade de Brasília (UnB). Para Testa, o interesse em acompanhar os fatos se justifica. “São cidadãos brasileiros. Alguma coisa pode ser feita [pelos políticos] para favorecer seus interesses. Muitos têm parentes e negócios no Brasil”, comenta. Na avaliação do cientista político, as manifestações de junho de 2013 e a realização da Copa do Mundo podem estimular um envolvimento maior este ano.
A cientista política Raquel Boing Marinucci, da Faculdade de Direito e Relações Internacionais do Centro Universitário de Brasília, faz análise semelhante. “As manifestações ganharam projeção internacional e obrigaram os brasileiros no exterior a se posicionar com relação à temática. Mas não somente as manifestações. Mesmo que só tivéssemos tido a Copa, sem os protestos, já seria suficiente para colocar o país em evidência, contribuindo para o agendamento e a visibilidade dos brasileiros nas comunidades onde residem”, acredita.
Informações divulgadas no final de julho pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam alta do número de brasileiros residentes no exterior aptos a votar neste pleito, na comparação com as últimas eleições federais, em 2010. A quantidade saltou de 200,3 mil para 354,1 mil, um crescimento de 76,7%.
O presidente do TSE, ministro Dias Toffoli, atribuiu a elevação no número de votantes à maior divulgação do voto no exterior e à abertura de consulados. O dado mais recente do Ministério das Relações Exteriores com relação ao total de brasileiros vivendo em comunidades fora do país é de 2012. Naquele ano, mais de 2,5 milhões de cidadãos moravam em território estrangeiro.
A advogada Thays Couto, 42 anos, é uma das brasileiras que escolherá a distância seu representante nestas eleições. Atualmente vivendo em Miami, Estados Unidos, ela é uma veterana no voto no exterior.
“Nasci em São Paulo e emigrei com minha família aos 9 meses para Birmingham, Inglaterra. Voltei ao Brasil por seis anos e estudei em Brasília. Aos 12, me mudei para a Inglaterra de novo. Meu primeiro título de eleitor foi de Londres. Votei pela primeira vez ao lado do meu pai. Em 2010, morei no México por três anos. Meu título é de lá. Vou viajar três horas para exercer minha cidadania”, conta.
Na opinião de Thays, hoje existem mais elementos para ajudar na hora da escolha do voto do que no passado. “Ficou bem mais acessível para quem mora no exterior, pois, com a internet, o contato com o Brasil é completo. Muito diferente de 1989, quando votei para presidente pela primeira vez. A única informação que eu tinha era por meio do meu pai”, lembra.
A brasileira diz que, além de usar a internet, se atualiza sobre o que acontece no país por meio de jornais e amigos. Ela considera “de suma importância” exercer o direito do voto.
O publicitário João Toribio, 34 anos, mora há dois na Suíça e também votará nessas eleições. Ele diz que acompanha diariamente blogs e portais de notícias para se informar sobre o que acontece no Brasil. “A importância [de votar] é justamente poder usufruir de um direito para poder esperar, exigir ou reclamar depois. Quem abre mão de votar, automaticamente abre mão de exigir as ações dos políticos eleitos, independentemente de morar em outro país”, opina.
O alistamento eleitoral e o voto são obrigatórios para todos os brasileiros, inclusive residentes no exterior. O voto só é facultativo para jovens maiores de 16 e menores de 18 anos, analfabetos e idosos com mais de 70 anos. Para os brasileiros que moram fora, a obrigatoriedade ocorre apenas nas eleições para presidente da República. Caso esteja ausente do local de votação ou impedido de comparecer, o cidadão deve justificar sua falta por requerimento ao juiz da Zona Eleitoral no Exterior, que pode ser entregue às representações diplomáticas brasileiras ou enviado pelos Correios. Os moradores do exterior que mantiveram seu domicílio eleitoral no Brasil também devem justificar suas ausências às urnas.
*Colaborou Danilo Macedo
Agência Brasil

TSE: Ministério Público rejeita recurso de RC contra Cássio e ratifica elegibilidade

O Ministério Público Eleitoral no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) formalizou, nesta segunda-feira (25), posicionamento a respeito da elegibilidade do senador Cássio Cunha Lima (PSDB), candidato a governador pela coligação “A Vontade do Povo”. Em seu parecer, o vice-procurador geral eleitoral Eugênio José Guilherme de Aragão, não apenas rejeitou os recursos impetrados pela coligação “A Força do Povo” e outros agentes políticos, além do próprio Ministério Público Eleitoral no TRE da Paraíba, como ainda não deixa margens de dúvidas sobre a total legalidade da candidatura de Cássio.
Em seu parecer, com um total de 12 páginas, o procurador Eugênio Aragão observa que, à luz da Lei da Ficha Limpa, o prazo de inelegibilidade de Cássio encerra-se efetivamente em 1º de outubro de 2014 (dia correspondente ao do pleito eleitoral em 2006), portanto praticamente cinco dias antes das eleições deste ano.
A tese de se levar em conta o prazo de inelegibilidade tendo-se como referência o segundo turno das últimas eleições estaduais também foi pulverizada pelo parecer do vice-procurador geral eleitoral. Ele também rejeitou a acusação, sem procedência, de que o candidato Cássio estaria em débito com a Justiça Eleitoral, por multa pendente.
Além da Coligação A Força do Trabalho, que tem como candidato à reeleição o governador Ricardo Coutinho (PSB), recorreram contra a decisão por 5 votos a 1 do Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) em favor da candidatura de Cássio, a presidente estadual do PRP, Maria da Luz; Rafael de Lima Rodrigues e o próprio MPE na Paraíba. Todos tiveram seus recursos rejeitados.
O vice-procurador geral eleitoral Eugênio Aragão foi instado a opinar a respeito do Recurso atinente à elegibilidade de Cássio no TSE pelo ministro Gilmar Mendes, escolhido como relator do processo.
Da Redação 
Com Wscom

Hospital referência no Tratamento do Câncer, Laureano atua no vermelho e pede doações

fernando-carvalhoO diretor do Hospital Napoleão Laureano, Fernando Carvalho, comentou em entrevista ao Sistema Arapuan nesta segunda (25) que como o tratamento para o câncer é muito caro, o hospital não está conseguindo equilibrar as finanças e trabalha ‘sempre um pouco no vermelho’.
Hospital referência no tratamento do câncer na Paraíba, o Hospital Napoleão Laureano atua no vermelho e pede doações. Carvalho destacou que pelo menos 93% dos recursos destinados ao hospital são do SUS e que outra importante fonte são as emendas parlamentares, porém a deputada que mais envia essas emendas não legisla pela Paraíba.
Carvalho ressaltou que o hospital atende ‘todas as cidades da Paraíba’, além de outros estados. A maior fonte de renda é o repasse do SUS através da secretaria municipal e para equipar o hospital são destinadas emendas parlamentares: “Inclusive, uma deputada que não é da Paraíba (apesar de ser paraibana), Luiza Erundina, do PSB de São Paulo é quem libera a maior emenda com R$ 500 mil anuais”, conta.
Vendo com bons olhos e em busca de mais recursos, o diretor comentou que é preciso não só do apoio dos parlamentares, mas também da sociedade e destacou o hospital de Barretos que é ‘top em cancerologia’ no Brasil e vive ‘praticamente de doações’. Carvalho comentou ainda que é preciso construir a Unidade de Terapia Infantil, já que o hospital é referência em oncologia infantil, mas não tem UTI.

O hospital tem um carnê de doações no Banco do Brasil, descontado mensalmente ou ligando para Laureano 3015-6200 e fazer uma doação.


Marília Domingues com Focando a Noticia

VIDEO DO PRESO QUE SE APAIXONA POR REPÓRTER ESTÁ BOMBAMDO NA NET.

O vídeo em que um preso acusado de se masturbar na porta de uma escola em João Pessoa passa uma cantada no repórter Washington Luiz, do programa Cidade em Ação, da TV Arapuan, está bombando na internet.Até agora, no Youtube, o vídeo conta com mais de 90 mil visualizações, o que é considerado um sucesso absoluto nas redes sociais.
O preso, identificado como Ricardo, foi acusado de praticar atos libidinosos na porta de uma escola em João Pessoa. Quando a polícia chegou ao local, ele vestia apenas uma calcinha e um biquini.
Ao ser entrevistado, Ricardo negou que estivesse praticando atos libidinosos, mas aproveitou para perguntar se o repórter da TV Arapuan, Washington Luiz, era casado e dizer que tanto ele quanto o cinegrafista Josiel Freitas eram “bonitos”.

Veja, abaixo, a matéria que foi ao ar no Cidade em Ação.

Papa estaria na mira do Estado Islâmico, diz jornal

Papa estaria na mira do Estado Islâmico, diz jornal
O papa está na mira do grupo jihadista Estado Islâmico (EI), responsável pela decapitação do jornalista americano James Foley, por ser "portador da verdade falsa", conforme publica nesta segunda-feira o jornal italiano Il Tempo.

No texto, o jornal afirma que "fontes israelenses acreditam que o Papa Francisco, o máximo expoente da religião cristã, está na mira do EI". O artigo diz ainda que a Itália é "um trampolim de lançamento para os mujahedins (combatentes da guerra santa)" e que "as chegadas contínuas de imigrantes servem de base para a entrada dos jihadistas no Ocidente".

O jornal lembra que o autoproclamado califa do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, "quer superar à Al Qaeda e as façanhas do chefe do terror (Osama bin Laden)". A publicação garante que o líder do EI, "segundo fontes israelenses, conta em seu entorno mais próximo com a presença de conversos ocidentais e de jovens de segunda geração, filhos de imigrantes nascidos em países europeus, e que agora optaram por abraçar o fundamentalismo islâmico".

O papa Francisco fez diversos pedidos pela paz no Oriente Médio em várias ocasiões e, exatamente, ontem pediu orações para que termine "a violência insensata" e para "um amanhecer de paz e reconciliação entre os homens".

EFE

Band suspende Datena por 2 dias por agredir Milton Neves

Band suspende Datena por 2 dias por agredir Milton Neves
 O apresentador José Luiz Datena foi suspenso por dois dias pelo Grupo Bandeirantes por invadir um estúdio da Rádio Bandeirantes e agredir verbalmente o colega Milton Neves, neste domingo. Datena, que apresenta o telejornal Brasil Urgente, programa mundo-cão da Band, será substituído pelo repórter Lucas Martins nesta segunda e terça.

Neves apresentava seu programa Terceiro Tempo na Rádio Bandeirantes, onde falava sobre a relação de Datena com o ex-jogador José Hidalgo Neto, astro do Coritiba nos anos 1960 e 70 que hoje trabalha como comentarista esportivo no Paraná. Depois de dizer que Hidalgo deu casa e comida a Datena no início de carreira e que até hoje se orgulha de ter sido seu companheiro em Curitiba, o apresentador do Brasil Urgente entrou no estúdio esbravejando. “Que m... é essa? Que m... é essa?”

Neves então pede para um operador cortar o som – “Segue aí, ô, criançada”, diz. E vai ao ar a vinheta do programa. Antes da invasão, Neves também disse que Datena era agradecido pela acolhida recebida de Hidalgo, que na casa do jogador Datena esteve melhor do que na pensão em que ele, o próprio Neves, morou no começo da carreira, e que Datena hoje era uma estrela e que lhe mandaria um vinho de presente.

O que exatamente incomodou Datena, só ele sabe. Mas esta não é a primeira vez que o apresentador e Milton Neves se desentendem. Ainda em 2003, uma briga dos dois iniciada no palco de uma premiação foi parar na polícia. Após trocar farpas com Datena no palco, Neves registrou um boletim de ocorrência dizendo que o colega ameaçou “quebrá-lo” caso o chamasse de “cachorro louco” no ar.


A Band confirma a suspensão, mas não a causa.





Veja

Homem gasta mais de 37 mil reais e se torna o mais tatuado da Grã-Bretanha

Sua paixão inusitada o fez passar perto de 100 horas na cadeira do tatuador, durante cerca de 50 sessões

Gerald McLaughlan, de 57 anos, gastou mais de 37 mil reais em tatuagens e agora acredita ser o homem mais tatuado da Grã-Bretanha.
Seu vício pela arte corporal começou há quase 30 anos, e agora quase todo o seu corpo está coberto por tatuagens.
As únicas partes de sua pele não tatuadas são as palmas das mãos, as solas dos seus pés e parte de um tornozelo.
Sua paixão inusitada o fez passar perto de 100 horas na cadeira do tatuador, durante cerca de 50 sessões.
Gerald, de Perth, na Escócia, fez sua primeira tatuagem aos 26 anos, mas seu antigo emprego na área de contabilidade significava que ele tinha que ter certeza que elas não eram visíveis.
Gerald McLaughlan gastou mais de 37 mil reais em tatuagens pelo corpo todo, em atos que acredita ter lhe dado o título de homem mais tatuado da Grã-Bretanha.
No entanto, há 15 anos, ele começou a trabalhar para a empresa de transportes da família, o que lhe permite saciar a sua paixão mais plenamente.
Gerald disse que suas tatuagens são inspiradas pela arte japonesa e chinesa. Ele só começou a ter seu rosto tatuado há três anos.
Suas tatuagens mais recentes foram pintadas em seus ouvidos no último domingo, pelo artista Trevor Brister, que tem feito a maior parte do trabalho de Gerald.
Gerald, que vive sozinho, disse que não tem conhecimento de pessoas olhando para ele na rua, e só teve que lidar com um comentário negativo ocasional.
Gadoo
WSCOM Online

Alagoa Grande fecha programação da rota cultural 'Caminhos do Frio' na PB

A rota cultural Caminhos do Frio da Paraíba 2014 chega, nesta segunda (25), a sua última parada na cidade de Alagoa Grande. O encerramento da programação será no domingo (31) e a principal atração é o cantor Oswaldo Montenegro, que se apresenta no sábado (30).
O tema das atividades no município é “Rota Cultural Jackson do Pandeiro” e inclui um festival de artes cênicas com oportunidade para várias apresentações de espetáculos escolares. Mas também há espaço para a prática de esportes como ciclismo no 'Ecopedal Trilha do Pandeiro' e atividades mais radicais, como o vôo livre, ambas no sábado.
Antes de chegar em Alagoa Grande, o Caminhos do Frio já havia passado por outras seis cidades da região serrana do Brejo paraibano: Pilões, Solânea, Serraria, Bananeiras, Alagoa Nova e Areia, onde começou no dia 14 de julho. O evento é numa realização do Fórum Regional de Turismo Sustentável do Brejo Paraibano e das sete prefeituras envolvidas.
Confira a programação de Alagoa Grande:
Segunda-feira (25)
15h00 – Mesa Redonda sobre Políticas e Ações Culturais (Câmara de Vereadores)
19h00 – Cortejo Cênico Musical com o Grupo de Percussão Baque Virado da Borborema (Largo do Teatro Santa Ignêz)
19h40 – Performance (Largo do Teatro Santa Ignêz)
20h00 – Solenidade de Abertura Oficial (Largo do Teatro Santa Ignêz)
20h20 – Dança Folclórica (Largo do Teatro Santa Ignêz)
21h00 – Opera do Pandeiro (Largo do Teatro Santa Ignêz)
Terça-feira (26)
08h00 – Espetáculos Escolares (Teatro Santa Ignêz)
19h00 – Música Sacra e Erudita com a Orquestra Sinfônica do Prima (Igreja Matriz)
19h30 – O Malandro – espetáculo teatral musical da Cia. Atelier Musical de João Pessoa (Teatro Santa Ignêz)
20h40 – O Cordel do Vento – espetáculo teatral da Cia. FascinART (Teatro Santa Ignêz)
Quarta-feira (27)
08h00 – Espetáculos Escolares (Teatro Santa Ignêz)
14h00 – “Brincando com O Mágico” e “Procurando O Poético” (Teatro Santa Ignêz)
15h30 – Festa de Contos – Cia. De Teatro Encena de João Pessoa (Teatro Santa Ignêz)
19h20 – Coração Nordestino – espetáculo cênico musical “Jozam e grupo” (Teatro Santa Ignêz)
20h00 – O Rico Avarento – Cara Dupla Cia. De Teatro de João Pessoa (Teatro Santa Ignêz)
20h00 – Arrancho – Uma Saga Paraibana (Teatro Santa Ignêz)
Quinta-feira (28)
08h00 – Espetáculos Escolares (Teatro Santa Ignêz)
14h00 – Espetáculo Teatral de Rua (Escola Firmo Santino)
19h00 – Meu Nome é Legião – espetáculo teatral musicado (Teatro Santa Ignêz)
20h00 – Bregaris de um Denário – Preformace cênico musical(Teatro Santa Ignêz)
20h00 – Africanidades – espetáculo de dança da Cia. DN (Teatro Santa Ignêz)
20h40 – A Feira – adaptação teatral do Grupo Theatro Laboratorium/AJAC (Teatro Santa Ignêz)
Sexta-feira (29)
09h30 – Contação de Histórias (Biblioteca Municipal)
10h00 – Nos Passos da Poesia (Praça do Coreto Central)
15h00 – Afro Brasil – (Praça do Coreto Central)
19h00 – Navio Negreiro – (Praça do Coreto Central)
16h00 – Malazarte, Canção e Trupizupe (Largo doTeatro Santa Ignêz)
20h00 – Coral Madrigal Antônio Leite (Largo do Teatro Santa Ignêz)
21h10 – Mar de Luto (Largo do Teatro Santa Ignêz)
Sábado (30)
07h00 – Ecopedal Trilha do Pandeiro (Memorial Jackson do Pandeiro)
08h00 – Passeio Guiado com Ônibus Musical (do Centro Histórico à Caiana dos Crioulos)
08h00 – Procurando o Poético (Mercado Central)
08h30 – Xaxado da Paraíba – Grupo Moenda (Mercado Central)
09h00 – II Encontro de Vôo Livre – espetáculo de asa delta e parapente sobrevoando o município (Mercado Central)
10h00 – Trio Pé-de-Serra da Região (Restaurante e Cachaçaria Banguê)
10h00 – Ruralfest (Praça do Coreto Central)
10h30 – Da Terra Onde O Sapo Não Canta (Praça do Coreto Central)
14h00 – Forró da Tranquilidade (Praça do Coreto Central)
15h30 – Desencosta da Parede (Praça do Coreto Central)
16h30 – Do Erudito ao Popular (Praça do Coreto Central)
18h00 – De Cores e Formas (Sede Paroquial)
18h10 – Intenções (Sede Paroquial)
18h30 – Violas e Improvisos (Sede Paroquial)
19h20 – Dança Parafolclórica – Grupo Raízes da Borborema (Largo do Teatro Santa Ignêz)
19h45 – Ciranda, Coco de Roda e Pífano (Largo do Teatro Santa Ignêz)
20h30 – Robério Chaves Canta Jackson e Outros (Largo do Teatro Santa Ignêz)
21h20 – Bob & Amanada e Banda (Largo do Teatro Santa Ignêz)
22h10 – Carlos Perê e Banda Boca do Cariri (Largo do Teatro Santa Ignêz)
23h00 – Batuques (Largo do Teatro Santa Ignêz)
23h30 – Oswaldo Montenegro – Show Canção Nua (Largo do Teatro Santa Ignêz)
01h00 – Rota Musical (Largo do Teatro Santa Ignêz)
Domingo (31)
08h00 – Enduro – Campeonato Paraibano de Enduro F.I.M. (por trás do CAIC)
08h00 – Cavalgada (saída do Ginásio O Bodão)
09h00 – II Encontro de Vôo Livre (espetáculo de asa delta)
12h00 – Favada e Feijoada (encerramento do Ruralfeste no Ginásio O Bodão)

Coordenação do evento em Alagoa Grande  e G1

sábado, 23 de Agosto de 2014

Mesmo após lei, apenas 177 dos 223 municípios da PB extinguiram lixões; multa chega a R$ 8 mil

Reprodução/Secom Alagoa Grande
Reprodução/Secom Alagoa Grande
Após o anúncio do Ministério Público Estadual da Paraíba sobre multas aos municípios que descumprirem a Lei 12.305 de 2010, que obriga a extinção dos lixões e a adequação com base na Política Nacional de Resíduos Sólidos, apenas 177 dos 223 municípios do estado ainda continuam em situação irregular e alguns deles ainda pediram aumento de prazo.
Em entrevista ao Programa 27 Segundos, da RCTV, canal 27 da Net Digital, o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado da Paraíba, André Carlo, informou que como encerramento do prazo, serão realizadas auditorias operacionais para identificar as irregularidades quanto ao recolhimento dos resíduos sólidos nos município e propor caminhos para a normalização dos problemas.
Segundo o conselheiro, o TCE deve também realizar auditorias fiscais, que visam não só identificar as condutas ilegais, mas também aplicar multas, que hoje no órgão podem chegar a R$ 8 mil. Além das multas, o descumprimento das leis pelos municípios pode trazer aspectos negativos e reprovação de contas de gestores.
O conselheiro também informou que a prorrogação de prazos para os município que não cumpriram não é confirmada.
“Não cabe ao Tribunal de Contas prorrogar prazos, mas já há indicações de que os municípios já estão solicitando aumento de prazo, mas para o Congresso Nacional; se ele der mais prazo, os órgãos de controle vão seguir a legislação; após o prazo é hora de fiscalizar”, disse ele.
Ainda segundo André Carlo, fora do âmbito do Tribunal de Contas do Estado, a desobediência da lei pode caracterizar um crime ambiental, que pode ser constatado pelo Ministério Público Estadual ou o Ministério Público Federal.
O conselheiro ainda informou que as informações sobre as auditorias são de acesso livre também ao Ministério Público Estadual, o que deve permitir uma fiscalização mais completa e rigorosa.
 portalcorreio

Violência sexual é mais comum em festas e trotes, diz professora da USP

violencia-contra-a-mulherCasos de estupro e violência sexual dentro da universidade, como a denúncia de uma aluna da medicina da Universidade de São Paulo (USP) em 2011, são mais comuns em três momentos, segundo a antropóloga Heloisa Buarque de Almeida, coordenadora do programa USP Diversidade: nos trotes universitários, quando calouras e calouros são submetidos a atividades definidas por veteranos, nas festas das faculdades e dentro das residências estudantis. Para melhorar o atendimento da universidade às vítimas, o programa, que integra o Núcleo de Direitos da USP, estuda formas de padronizar o acolhimento e a investigação das denúncias de todos os tipos de violência e discriminação, treinar funcionários da segurança e fazer uma pesquisa com a comunidade uspiana para mapear os casos de violações de direitos.
Heloisa é professora da área de estudos de gênero na antropologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), e começou a pesquisar a questão do estupro na universidade depois de ter sido abordada por coletivos feministas na faculdade. “O que é muito comum é aquela situação da menina que bebe demais, está inconsciente, e os colegas mesmo abusam dela. Mais comum não é ser funcionário, é colega, e isso é mais assustador”, explicou ela ao G1.
O caso da aluna da medicina, que neste mês voltou à tona depois da decisão da delegada que apura o inquérito de indiciar o acusado, ocorreu em uma festa promovida por alunos de medicina. O suspeito é um homem que, de acordo com a delegada, trabalhava com manutenção de ar-condicionado na faculdade.
Mas esse ainda é um dos poucos casos que são registrados na polícia ou na própria Ouvidoria da USP. Heloisa afirma que, embora a multiplicação de coletivos feministas dentro da USP tenha aumentado também o número de pessoas relatando casos de estupro e violência, poucos são levados às instâncias oficiais porque as vítimas têm medo e existe um sentimento de impunidade. Só na USP,  Heloisa diz ter sido informada indiretamente de pelo menos 20 casos de estupro ou violência física cometidos por alunos contra alunas nos últimos anos, e só quatro deles fora dos campi.
Ela lembra que o problema não está isolado na USP e diz ter descoberto “fofocas” sobre casos em Santa Catarina, Bahia, Ouro Preto, entre outros. “É fofoca. Mas é fofoca reveladora de alguma coisa que está acontecendo, porque ninguém inventa uma coisa dessas.”
Na Universidade de São Paulo, a investigação dessas denúncias é responsabilidade de cada faculdade. “Depende da posição dos diretores, depende da posição dos professores mais poderosos, os professores titulares. Tem diretor que é pessoa completamente envolvida com direitos humanos, faz comissão de sindicância, ouve as partes. E em algumas unidades os diretores não querem que esses casos sejam apurados”, afirma a antropóloga.
Estamos pensando qual é o protocolo, como a Ouvidoria tem que se comportar. Esse tipo de debate a gente conduz para a universidade achar o seu caminho”
Lúcia Vilela Filgueiras, coordenadora do Núcleo de Direitos da USP.
Protocolo de atendimento
A professora Lúcia Vilela Leite Filgueiras, coordenadora do Núcleo de Direitos, ligado à Pró-Reitoria de Cultura e Extensão, diz que o órgão institucional foi criado há dois anos para centralizar e fortalecer diferentes projetos de direitos humanos da universidade, como o de serviços para a terceira idade, atendimento a deficientes físicos, incentivo à economia solidária, a relação com comunidades do entorno e o respeito à diversidade.
Uma das funções do órgão, segundo ela, é tentar elaborar um protocolo comum de ação para as unidades e serviços. “O núcleo serve para articular a universidade. Se tem questões desse tipo, ele tenta ser alguém que faz o meio de campo dos vários órgãos da universidade para tentar resolver. Estamos pensando qual é o protocolo, como a Ouvidoria tem que se comportar. Esse tipo de debate a gente conduz para a universidade achar o seu caminho”, diz.
Atualmente, o órgão que também pode receber denúncias é a Ouvidoria da USP, mas a dificuldade de acolhimento encontrada pelas vítimas muitas vezes faz com que elas desistam de perseguir a punição dos autores. “Esses casos não estão chegando para a ouvidora, porque em outros momentos foram denunciados para a Ouvidoria e ela não conseguiu proteger as pessoas que denunciaram.”
A USP tem ainda uma Superintendência de Assistência Social (SAS) para oferecer auxílio de vários tipos aos estudantes da universidade. O G1 procurou a SAS para saber quantos casos de estupro foram atendidos nos últimos anos e qual é o procedimento padrão indicado para as vítimas, mas não recebeu resposta até a publicação desta reportagem.
Propostas para investigar estupros
O USP Diversidade e o Núcleo de Direitos da USP não têm poder de determinar políticas, apenas de educar e sugerir mudanças. Uma das ideias ainda embrionárias é estudar a criação de um comitê que centralize a investigação dos casos, mas a execução dessa mudança depende de uma alteração no regimento interno da USP. Mas, para a professora Heloisa, essa pode ser uma solução para que as pessoas vítimas de violações de direitos se sintam mais confortáveis para denunciar os casos.
Agora elas estão percebendo que não é porque beberam demais que os meninos podem abusar delas. E que não precisa espancar para ser estupro” Heloisa Buarque de Almeida, coordenadora do USP Diversidade
Outras propostas são treinar os funcionários da Guarda Universitária sobre como lidar com situações que envolvem os direitos humanos e criar um programa de atendimento às vítimas de estupro dentro do Hospital Universitário, nos moldes do que já acontece no Hospital Peróla Byington, no Centro de São Paulo. Lá, as mulheres passam por exames, recebem tratamentos antiretrovirais e de prevenção à gravidez e ainda têm assistência psicológica.
Heloisa diz que os coletivos feministas são, ainda que informalmente, os espaços que mais têm ajudado as meninas a entenderem que não têm culpa nesse tipo de caso. “O que acontece é que, normalmente, a menina se sente culpada porque pensa: ‘fui eu que bebi demais’. Ela sente vergonha e não conta. Mas agora elas estão percebendo que não é porque beberam demais que os meninos podem abusar delas. E que não precisa espancar para ser estupro.”
Além da conscientização das vítimas, porém, a professora de antropologia diz que ainda é preciso mudar a estrutura oficial de acolhimento e apuração dessas denúncias, principalmente a desigualdade com que elas são tratadas nas diferentes unidades da USP. “Todas as escolas mais tradicionais, que são muito renomadas e de profissões de prestígio, têm clima em que acham que têm que proteger a faculdade. Dizem que não podem denunciar porque é ruim para o nome da escola. Mas o que é ruim para o nome da escola é não denunciar, é não apurar, é não punir.”
G1

Estrada mais perigosa do mundo

Estrada mais perigosa do mundo
 Estreita, serpenteando uma montanha a 4.700 m de altitude e com precipícios de centenas de metros desprotegidos, a estrada Camino a los Yungas, na Bolívia, é tão perigosa que é conhecida como “caminho da morte” ou "estrada da morte". Curiosamente, após ser considerada na década de 1990 a “estrada mais perigosa do mundo” pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento, a via se transformou em atração turística. Todo ano, milhares de pessoas percorrem o caminho de bicicleta.

Até algum tempo atrás, de 200 a 300 pessoas morriam todos os anos em acidentes com carros e ônibus na estrada, que tem apenas 64 km de extensão. Depois que foi construída uma via alternativa para os veículos, em 2007, esse número diminuiu.  

A rota, entretanto, continua perigosa. Quem se atreve a percorrê-la tem que manter o foco no caminho de apenas 3 metros de largura. De um lado, o ciclista encontra o paredão da montanha. Do outro, precipícios de até 600 m de altura. Em alguns lugares o solo é barrento, as nuvens tampam a visão e há deslizamentos de rochas.

Mas, quando a pessoa desce com calma e com a ajuda de um guia profissional, o passeio é “fácil e seguro”, afirma Derren Patterson, gerente da Gravity Bolivia. A empresa guia cerca de 6 mil turistas por ano no passeio de mountain bike pela estrada. Há turistas de todas as nacionalidades, inclusive do Brasil. “Tem que descer com cuidado, não como um louco. Se for rápido demais ou com muito medo o ciclista pode sofrer uma queda grave. Mas quando a pessoa vai com calma e foca a atenção o tempo todo, a descida é fácil”, afirma Patterson. Beleza natural

O passeio começa em 4.700 metros de altitude em La Cumbre, a uma hora de carro de La Paz, e desce 3.500 m, ao longo de 64 km. Segundo Patterson, há registros de que 20 ciclistas morreram até hoje na Estrada da Morte. Um deles estava com um grupo da Gravity: um senhor morreu de ataque cardíaco durante o trajeto.

Patterson garante que a beleza natural da região faz a aventura valer a pena. “É um dos lugares mais bonitos que já conheci. Dá para ver montanhas com mais de 6 mil metros de altura, glaciares e paisagens impressionantes. Passamos pela selva, por cachoeiras, rios e por um bosque que fica no meio das nuvens”, descreve. Os turistas também podem ver planícies nevadas, lhamas pastando e pequenas vilas. A maior parte do caminho (cerca de 90%) é na descida.

G1

sexta-feira, 22 de Agosto de 2014

Pela 1ª vez em Alagoa Grande ZEZO neste domingo 24/08/2014

Pela 1ª vez em Alagoa Grande ZEZO O Nordestino Apaixonado - Domingo dia 24 na Casa de Show do Parque de Vaquejada Santa Terezinha venda de mesa e ingressos pelos Tel: 9984.1288 / 9314.7971

Coligação A Vontade do Povo entra com representação contra governador por abuso do poder na campanha

Os advogados da Coligação A Vontade do Povo (PSDB, PEN, PR, PTB, PSD, SD, PMN, PPS, PT DO B, PTN, PRB, PSDC, PSC E PP), protocolizaram uma representação, perante o Ministério Público Eleitora, denunciando a prática de conduta vedada do governador Ricardo Coutinho (PSB), candidato à reeleição pela Coligação “A Força do Trabalho”.
Na representação, o atual governador é acusado de utilizar o poder da máquina pública estadual, para beneficio próprio de sua candidatura, desequilibrando a disputa eleitoral com procedimentos ilegais. Um exemplo claro do abuso de poder é a nomeação de eleitores para cargos comissionados e prestadores de serviço, “transformando o quadro de servidores estaduais em verdadeiro exército para trabalhar em favor de sua reeleição”.
O documento destaca também casos de perseguição política aos servidores que não compartilham da mesma posição política do governador. São inúmeros casos de demissões de mulheres grávidas, pessoas com mais de 20 anos de atuação no Estado, que foram exoneradas para dar lugar a cabos eleitorais do atual gestor.
Depoimentos e Detran
Para embasar a representação, a Coligação A Vontade do Povo cita que várias dessas irregularidades de assédio, ameaça, coação e aliciamento de servidores públicos foram relatadas por jornalistas, radialistas e profissionais de comunicação. Dentre eles, os experientes e renomeados jornalistas Rubens Nóbrega, Wellington Roberto de Farias e Helder Moura.
Outro caso de abuso de poder foi narrado pela jornalista Simone Duarte, que noticiou perseguição por parte do Detran, no sentido de prejudicar adversários políticos, especificamente, os candidatos da Coligação “A Vontade do Povo”.
Segundo a representação, veículos com o nome do governador e candidato a reeleição Ricardo Coutinho estariam sendo liberados de fiscalização. Enquanto isso, automóveis relacionados aos candidatos da Coligação “A Vontade do Povo” estariam sendo criadas barreiras para liberação.
O documento também alerta ao TRE-PB sobre o clima de instabilidade dentro do serviço público estadual, por intermédio de acintoso assédio eleitoral contra os servidores públicos da Paraíba.
Com os casos acima citados, a representação aforada pelos advogados da Coligação “A Vontade do Povo” entende que há prática de conduta vedada e abuso de poder político do governador Ricardo Coutinho, requerendo, assim, que se proceda uma ampla apuração dos fatos narrados em toda sua extensão, inclusive com a requisição para abertura de inquérito policial federal para apurar a conduta dos agentes e dos beneficiários das práticas ilícitas descritas e outras conexas que forem detectadas.


blogdokardec.com.br

Campanha arrecada pouco, mas divulga esclerose lateral amiotrófica

Cada instituição tem recebido doações por meio de uma conta específica e pretende direcionar os recursos para ações próprias.

Iniciada nos Estados Unidos, a campanha Ice Bucket Challenge (desafio do balde de gelo), feita para angariar recursos para o tratamento da esclerose lateral amiotrófica (ELA), ganhou as redes sociais após famosos – incluindo Bill Gates e Mark Zuckerberg – aceitarem o desafio de tomar um banho de água e gelo e doar recursos para a campanha. Promovida pelo segundo ano seguido pela ALS Association, a iniciativa chegou ao Brasil por meio de parceria com associações locais que fazem parte da organização internacional.
Desde a última sexta-feira (15), a campanha tem mobilizado as redes sociais e conquistado o apoio de artistas. O Instituto Paulo Gontijo (IPG), a Associação Pró-Cura da ELA e a Associação Brasileira de Esclerose Lateral Amiotrófica (Abrela) são as principais entidades engajadas na iniciativa. Cada uma tem recebido doações por meio de uma conta específica e pretende direcionar os recursos para ações próprias. Até agora, contudo, o apoio dos famosos e os inúmeros vídeos, curtidas e compartilhamentos nas redes não resultaram em tantas doações.
Segundo a diretora do IPG, Silvia Tortorella, até agora o instituto recebeu cerca de R$ 20 mil, recurso que deve ser destinado a projetos da entidade, como o manual interativo para pacientes e a disponibilização de computadores. Mas o número pode aumentar, pois o sistema de doações, que permite o uso de cartão de crédito ou boleto bancário, não faz o depósito imediatamente. Mesmo assim, a quantia deve ficar distante dos U$ 30 milhões arrecadados este ano nos Estados Unidos, onde a população costuma fazer doações para organizações sociais, e mesmo das expectativas locais.
O desempenho financeiro, contudo, não frustrou os organizadores. “Eu tenho uma expectativa excelente em relação ao recebimento financeiro. E pode ser muito mais. As pessoas têm que procurar saber para o que estão doando, se engajar no projeto, participar da iniciativa, além de doar financeiramente”, diz a diretora do IPG.
Sílvia também comemora a visibilidade que os banhos de água fria conferiram a um problema muito grave. Embora menos conhecida do grande público do que outras patologias, como Parkinson e Alzheimer, esse tipo de esclerose é uma das principais doenças neurodegenerativas. O portador sofre com a degeneração do sistema motor, que pode causar rapidamente a paralisação total de atividades como andar, falar e até respirar.
Segundo o Ministério da Saúde, a incidência da ELA na população varia de 0,6 a 2,6 pessoas a cada 100 mil habitantes. De acordo com a Portaria 496 do órgão, que define o Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para tratamento da ELA, a idade é um dos fatores mais comuns para a ocorrência da doença, que atinge sobretudo pessoas com idade entre 55 e 75 anos.
A norma adverte que o processo degenerativo é muito rápido. Acredita-se que 80% dos neurônios motores já tenham sido perdidos quando aparece o primeiro sintoma. Por isso, a sobrevida média dos pacientes com Ela varia entre três e cinco anos, embora exceções existam, como o caso do cientista Stephen Hawking, que convive há mais de 50 anos com a doença.
Há dificuldade de obter informações exatas sobre a doença, cuja origem ainda não foi descoberta. Hoje, conforme o ministério, o tratamento é feito com o uso do medicamento riluzol, que é tomado por via oral a cada 12 horas. A medicação tem a capacidade de prolongar a sobrevida dos pacientes por três a quatro meses. Além disso, o tratamento interdisciplinar, envolvendo psicólogos, terapeutas ocupacionais e outros profissionais, é fundamental na busca por qualidade de vida, segundo especialistas.
Até agora, não há expectativa sobre a descoberta da cura da ELA. “Nós não vamos ter avanço científico para a cura, mas podemos ter um medicamento para estabilizar a doença”, explica Silvia Tortorella.
O diretor científico do IPG e da Abrela, Miguel Mitne-Neto, esclarece que, para buscar a cura, é preciso entender a doença. Ele lembra que países como os Estados Unidos, a Inglaterra, Bélgica e França têm desenvolvido importantes pesquisas sobre o tema.
As pesquisas seguem frentes diversas, como a busca por ferramentas de diagnóstico mais efetivas e o uso de células-tronco para possibilitar o aumento do tempo de vida dos neurônios ainda presentes no paciente. Esse estudo vem sendo desenvolvido por grupo ligado a um hospital de Atlanta. Como está em fase clínica, ainda não é disponível para tratamentos. “Quanto antes você tem o diagnóstico, pode ter menos perdas e aumentar a qualidade de vida dos pacientes”, destaca.
No Brasil, há pesquisadores buscando elucidar as causas da doença. O Centro de Pesquisa sobre o Genoma Humano e Células-Tronco, da Universidade de São Paulo, trabalha com esclerose lateral amiotrófica por meio de algumas linhas de pesquisa. Uma delas, seguida por Mitne-Neto em seu doutorado, busca identificar as causas da forma hereditária da ELA, que representa 10% do total, e possíveis relações com a ausência de determinada proteína, o que pode gerar novos tratamentos e antecipar o diagnóstico, se confirmada a hipótese.
“O caso hereditário é importante porque a partir dele eu consigo achar o componente genético comum entre os doentes”, explica o pesquisador. “Se for possível isso, já é um grande avanço”, diz.
Agência Brasil